27 de agosto de 2008

Cai uma chuva fina II

Portas e janelas fechadas revelam
mais um dia de trabalho
um dia trivial

a chuva fina que cai
atrapalhando o trânsito
denuncia o ocorrido

Os homens passam atrapalhados
pela chuva e pelo corpo
passam apressados para
mais um dia de trabalho
e os poucos que olham o corpo
o fazem por mera curiosidade

Um no entanto olha para cima
vê o prédio do mais duro concreto
depois fixa seus olhos
naqueles olhos desconhecidos
sem brilho sem vida
olhos libertos
que não mais precisam
de guarda-chuva

Inspirado no poema Momento num café, de Manuel Bandeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário