11 de agosto de 2008

Do Cotidiano ao Sublime

“O poeta não é um sujeito que vive no mundo da lua, perpetuamente entretido em coisas sublimes. É, ao contrário, um homem profundamente misturado à vida, no seu mais limpo ou mais sujo cotidiano.”
Manuel Bandeira - O Grande "Poeta Menor"

Nenhum comentário:

Postar um comentário