17 de junho de 2009

O moço

o moço tem pensado demais
a vida e suas dúvidas
tantas escolhas

"tempo longo de felicidade
dor igualmente longa
escolhe a dor menor
felicidade se apequena"

então,
o que vai ser
do teu dia, do teu rumo?

o que vai ser
da tua existência, da tua ausência?
da falta de alguém que inunde o teu mundo?

ao sair da cama morna
percorrendo o corredor vazio
tonto de uma náusea não dormida
o olhar se ilumina

é uma lembrança que vem
vem chegando
vem mansinho
atropelando
o moço sorri

naquela manhã fria
por sorte ou acaso
lembrou-se do sonho
interrompido pelo despertador

lembrou-se da moça
de beleza simples
que lhe fez a mais doce companhia

"o beijo, o desejo, o riso, o rio"

animou-se
achou que as escolhas
nem sempre eram justas
nem fáceis
mas que importância isso poderia ter
depois de ter aprendido a amar?

então,
o que vai ser de ti?
a moça te espera
com vestido em flores
e com os mistérios de cada noite

"hoje a tristeza não me pega
a moça transbordou em mim"