30 de agosto de 2011

Boa noite

Dorme, poesia infame
Sonha teus versos imundos
Enquanto o poeta te abandona
Vagabundo
Fazendo drama
Indo pra cama
A desejar-te

3 comentários: