22 de novembro de 2011

alcunha

o peito sangrou
acima da carne
escárnio da solidão

o sangue coagulou
debaixo da unha
apertou o dedo
libertou o medo
alcunha da dor

Nenhum comentário:

Postar um comentário