20 de agosto de 2013

Do silêncio

Sobre as coisas não ditas
Palavras não nascidas
Germinando por dentro
Presas pelos poros
E por fora ressecadas

Sobre as bocas mudas que não mudam
E o mundo de verbos surdos
Desnudos de sinceridade
E a cidade sufocada que não respira
Porque a chuva se escondeu
Na falta do pingo
Como uma fala afônica
Na tônica de um vento findo