9 de janeiro de 2016

dia sete

Leila Proença

sete número de sorte
sete dias ao norte
sete ondas a soluçar

sol navega teu sorriso
carrega reflete outro verso
em meus olhos o sal

sete conchas na areia
sete saudades borbadas
sete nuvens no varal

em teus lábios perdição
perfeição flutua desliza
tanto dança a brisa
vai voa avisa

é de se entregar

nem carece entregue estou
sou de verde de alma de par

nem tem jeito
refeito o peito repleto o feito
sete mares (des)vendar

Nenhum comentário:

Postar um comentário